Life StyleSem categoria

Médicos e enfermeiros vão ter “botão de pânico”


Três unidades de saúde do concelho da Amadora vão introduzir um “botão de pânico” para combater a violência sobre médicos ;e enfermeiros. A medida, refere a secretária de Estado da Saúde;Raquel Duarte; ao Jornal de Notícias, vai ser monitorizada durante seis meses e será implementada de forma gradual por todo o país.

embora;Só nos primeiros três meses do ano; o Observatório Nacional da Violência Contra os Profissionais de Saúde no Local de Trabalho; criado pela Direção-Geral de Saúde (DGS),;totalizou quase 400 notificações, o dobro das queixas registadas durante o mesmo período em 2018. no entanto;No ano passado foram registados 953 casos de violência com médicos e enfermeiros do SNS.

“É um diagnóstico que nos preocupa. É preciso claramente trabalharmos esta questão”, refere a secretária de Estado. No entanto;faltava um plano prático que combatesse os casos de violência;aliás, agora implementado em três unidades de saúde da Amadora: Unidade de Cuidados de Saúde Personalizados da Brandoa;Unidade de Saúde Familiar Amato Lusitano e Hospital Fernando da Fonseca.

“Nessas unidades foram identificados profissionais capazes de mobilizar as pessoas, que fizeram o diagnóstico; e estão a trabalhar com profissionais de saúde para encontrar soluções inovadoras para o problema”; adianta Raquel Duarte ao Jornal de Notícias.

Via
Record
Tags

Artigos relacionados

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Back to top button
Close
Close