Life StyleMotores

F1 – RED BULL DECIDE FORNECEDOR DE MOTORES ATÉ AO GP DA ÁUSTRIA

AutoSport

É uma das grandes decisões para a época 2019 e uma que pode ter implicações significativas para os destinos das partes envolvidas. A Red Bull irá decidir quem será o seu fornecedor de motores para as próximas épocas até ao GP da Áustria. A equipa pretende avaliar as melhorias que serão introduzidas este fim de semana pela Renault e pela Honda para concluir o seu processo de decisão.

Por um lado a Red Bull tem  uma Renault, com quem tem tido uma relação agridoce desde 2014. O relacionamento entre ambas as estruturas não foi o melhor desde aí, mas este casamento tem rendido pódios e vitórias o que nunca poderá ser esquecido. A dupla Red Bull/Renault tornou-se numa das parcerias mais fortes da F1, antes da introdução dos motores híbridos, mas já aí os franceses queixavam-se de alguma falta de reconhecimento. Em 2014 o caldo entornou e a Red Bull começou a bater o pé, exigindo motores mais competitivos, algo que a Renault tentou fazer mas sem sucesso, embora conseguindo dar um motor que foi capaz de manter a Red Bull no top3. O desentendimento foi de tal ordem que o divórcio entre ambas as partes apenas foi evitado pelos esforços infrutíferos Da Red Bull em receber motores Mercedes ou Ferrari. Agora, 2 anos depois, e já com a Renault com uma equipa oficial, também para tentar limpar a imagem que estes episódios  lançaram para o público, a Red Bull tem de escolher entre a Renault, que apesar de tudo tem mantido a equipa relativamente perto dos principais adversários, ou mudar para a Honda.

 

O regresso da Honda à F1 tem sido a todos os níveis desastroso. A parceria com a McLaren não funcionou de início, com a equipa britânica a exigir um motor competitivo e adequado à sua filosofia, e a Honda sem capacidade para dar conta do recado. A tarefa dos japoneses era ingrata e implicava desenvolver em tempo recorde um motor que a Mercedes demorou anos a aperfeiçoar. Mas a postura usada por ambos os lados e acima de tudo a falta gritante de competitividade e fiabilidade ditaram o fim desta dupla, e a Honda começou a servir a Toro Rosso, num ambiente com muito menos pressão, e claramente uma montra para que a Red Bull olharia com interesse. A Honda sabe bem que  nível de exigência da Red Bull será igual ao da McLaren e há poucas semanas os próprios responsáveis da Honda tinham algumas dúvidas sobre se esta decisão seria a ideal. Assim, mudar para a Honda, implicaria para  a Red Bull mudar para o desconhecido, sem garantias de sucesso, enquanto na Renault, há pelo menos uma base que permite lutar de vez em quando por vitórias.

Está nas mãos dos responsáveis da equipa. E embora a Red Bull tenha vontade de mudar, manter-se com a Renault por mais dois anos e esperar pelos novos regulamentos para fazer uma mudança de fornecedor de motores, talvez acolhendo a Aston Martin, que já é patrocinador da equipa, pode ser um caminho menos difícil. Até 29 de junho saberemos a resposta a esta questão, assim como à questão da permanecia ou não de Ricciardo na equipa.

Fonte: AutoSport.

Artigos relacionados

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Close