Futsal

Gonçalo Alves dá o murro na mesa: «Chegou o dia de dizer ‘basta’, não brinquem com o Benfica»

À BTV, o diretor do Benfica fala em “amadorismo total por parte desta dupla de arbitragem”, realçando o “lance que deu origem ao 4-3, que virou o resultado completamente…” “O André Coelho ganha posição, toca na bola e segue… Falta! O árbitro que apita é o que está mal posicionado. O outro está em linha, vê o lance, percebe que não é falta… Isto é que é grave: o árbitro que está mal posicionado é que apita. Mas temos algum azar com ele, o Benfica raramente ganha com este árbitro e há sempre lances polémicos, jogadores expulsos…”, lembrou, apontando ainda vários outros lances, antes de sentenciar: “Acho que o objetivo nem era que o Benfica perdesse; era que fosse goleado, esmagado. Mesmo assim, fomos a prolongamento, lutámos até ao fim. Não há nada a dizer a estes jogadores. Estavam super-revoltados e no domingo vão mostrá-lo dentro de campo”.

A garrafa de Deo…

Gonçalo Alves visou igualmente a atitude de Deo, que a determinado momento do jogo utilizou a água de uma garrafa para molhar o piso do pavilhão. “Isto é lamentável, é o vale tudo! O André Coelho passou por ali segundos depois. Para que se tenha noção, muitas das lesões no futsal acontecem quando o piso está molhado. Se o André, quando passa, pisa mesmo a água, poderia ficar seis meses parado por causa de uma atitude antidesportiva e lamentável como esta. Espero que a Federação Portuguesa de Futebol veja isto e castigue severamente. Que este caso seja um exemplo”, pediu o diretor encarnado, apontando mesmo que este ato “não pode ser penalizado com um ou dois jogos de castigo”.


Via
Record

Artigos relacionados

Botão Voltar ao Topo