Futebol

Mudança no futebol: Regra da mão na bola foi alterada

O International Board (IFAB) já divulgou pois as alterações às leis de jogo que serão implementadas já a partir deste mês de julho no futebol, com o intuito de fazerem já parte da nova época 2020/21. Através de um comunicado, o organismo informou os árbitros destas alterações, em que se destaca uma: a alteração da regra da mão na bola.

A partir da próxima temporada se a bola tocar na parte superior do braço, na zona compreendida entre a axila do jogador até à manga da camisola; o árbitro no entanto não deve considerar infração.

O objetivo é declarar com clareza a mão na bola, que assim passa a ser infração a partir do; “limite do braço no ponto inferior da axila”, lê-se no comunicado do IFAB.

Além disso, ao contrário do que estava em vigor, caso haja um toque involuntário do braço/mão na bola durante jogada ofensiva; o árbitro não precisa de marcar falta.

Agora, apenas se a jogada ofensiva der origem a uma jogada perigosa ou em golo, deve ser então considerada infração. Desta forma, um toque involuntário de um jogador com o braço pode não ser considerado falta.

Outras alterações

VAR: Sempre que o incidente em revisão pelo VAR for suscetível a considerações subjetivas, o árbitro deve rever o lance no monitor de campo.

Penáltis: Uma infração do guarda-redes só deve ser punida caso influencie diretamente o resultado final do penálti.

Exemplo: se o guarda-redes movimentar-se e adiantar-se na linha de golo, mas o marcador não consegue marcar; a cobrança da grande penalidade não deve ser repetida.

Caso o guarda-redes seja punido por sair da linha e a cobrança repetida, o cartão amarelo só deve ser mostrado caso; o guarda-redes cometa duas vezes uma infração.

Dois amarelos podem não resultar em expulsão: Passamos a explicar. Se um jogador for admoestado no tempo regulamentar com um amarelo e depois, no desempate por penáltis, vir outro amarelo, não é expulso. Deve constar no relatório apenas que viu dois amarelos, sem ser considerado expulsão.

Pontapé de baliza: Se o guarda-redes passar para um companheiro e este retribuir o passe de cabeça ou com o peito; o lance terá de ser repetido.

Bolas paradas: É necessário respeitar os quatro metros de distância obrigatória, caso contrário o jogador deve ser punido com cartão amarelo.

Faltas: Não deve ser mostrado o cartão amarelo, caso o árbitro mande cobrar uma bola parada rapidamente; ou der lei da vantagem após uma falta que interfira numa jogada clara de ataque.

Via
Noticias ao Minuto

Artigos relacionados

Botão Voltar ao Topo