FC PortoFutebol

“Marseille tem última oportunidade de manter viva a chama dos oitavos”

Sérgio Conceição e Sérgio Oliveira fizeram esta terça-feira a antevisão da partida de amanhã, para a Champions, frente ao Marseille.

Tanto o jogador como o treinador dos azuis e brancos destacaram esperar uma partida difícil, com um Marseille a querer pontuar e um FC Porto a querer dar um forte passo rumo aos oitavos.

Confira o essencial da conferência de imprensa de ambos. 

Sérgio Conceição:

Marseille em mau momento e mais frágil?: Se o futebol fosse assim tão fácil. Queremos marcar cedo e marcamos…. Temos de entrar forte. Acho que a equipa do Marseille tem jogadores muito experiente, um treinador que não é desconhecido e uma equipa técnica muito capaz. As críticas podem funcionar ao contrário no sentido de ferir um pouco o orgulho da equipa e eles quererem dar uma resposta. Temos de estar precavidos porque o jogo também é preparado na versão emocional. Muito do que fizermos é que vai ditar o que será o jogo.

Taremi – Marega (adeptos ansiosos por os ver juntos): Não se encontram em campo, mas encontram-se no treino. Não são jogadores parecidos… Jogámos até um determinado momento com um avançado para darmos continuidade ao que vinhamos a fazer no final do ano passado. Agora começámos a trabalhar uma dinâmica de um 4-4-2 e optei algumas vezes por Marega e Luis Díaz. Dentro do equilíbrio que queremos para a equipa vamos tomando opção. O treinador olha para a equipa e quer sempre um grupo muito capaz, competente e que ganhe jogos. É normal que os adeptos prefiram um ou outro mas acho que não tenho escolhido mal. Em três anos ganhámos duas vezes o título. Estivemos nos quatros e nos oitavos. Isto não é puxar dos galões. Nunca vou ser influenciado nas minhas decisões, quer internamente quer externamente. Admito, contudo, que em algumas vezes errei também, mas depois do jogo sou o melhor treinador do mundo. 

Dois avançados: Fazer golo é um trabalho de equipa. O nosso melhor marcador nem é um avançado. Depende do que queremos para a equipa, mas até posso jogar sem avançados e ter mais caudal ofensivo. Fico sempre contente que os avançados marquem, mas isso não tem nada a ver com as minhas escolhas. Fico contente que a equipa ganhe e que os jogadores tenham confiança pelo trabalho que fazem no dia-a-dia. 

Ausência de Pepe – Subida de Mbemba liderança: O Mbemba é um pouco mais introvertido, mas é também um líder como joga. Há uns jogadores que falam mais outros menos, mas isso também acontece com os treinadores. Não é por gritar muito que é mais líder. Há diferentes líderes em campo, precisamos de 11 e não há jogadores com mais ou menos estatuto. O Pepe é um líder natural. É o primeiro a chegar e o último a sair. 

Pontuação: Espera ter nove pontos, mas acredito que estamos numa boa posição. Depende deste jogo e deste resultado que pode ser extremamente importante. 

Regresso pós-seleções com Taça de Portugal: Conto com todos os jogadores. Só podem jogar onze e o importante é estarem disponíveis. Frente ao Fabril senti que tenho opções válidas. Apesar de muita gente jovem temos muita maturidade. Todos sabem que entram 11 e jogam mais cinco. Quando forem chamados é importante darem esta resposta agradável. 

O que tem visto melhor no Sérgio Oliveira: Faz parte do que tem sido a dinâmica da equipa titular. Ele tem correspondido ao trabalho que lhe pedimos. Já trabalho com ele há alguns anos e sem dúvida nenhuma hoje é um jogador completamente diferente. Está mais maduro e isso também o ajudou na evolução que teve. Hoje é um jogador mais completo para a equipa. A capacidade técnica é uma das características que definem um jogador, há outras que lhe dão outra dimensão. É um jogador que está bem. Ontem estava a ver um programa e questionavam o valor de Messi. O futebol é o momento. Se fizermos um ou dois jogos maus o treinador tem as malas feitas e o jogador começa a ouvir assobios. É bom ter continuidade. 

Pepe: Vai ser muito difícil, direi mesmo impossível estar disponível para o jogo. Vai acompanhar-nos mas não estará disponível.

Histórico positivo com o Marselha: Não andamos muito ao sabor dessas situações, desses estados de espírito, a precisar de uma motivação extra por uma vitória. Acreditamos muito no trabalho que fazemos. Temos um trajeto muito interessante nesta competição. Vamos a um país que está em grande dificuldade, como nós, pela pandemia. Uma palavra também para os nossos emigrantes que também vão olhar para este jogo com muito carinhos. Vamos jogar a melhor prova de clubes do mundo e queremos honrar a nossa história. 

Que jogo espera: Acho que são seis jogos competitivos e muito difíceis. Este não foge à regra, sabendo que o Marselha tem aqui a última oportunidade de manter viva a chama dos oitavos. Se o Marselha ganhar os dois jogos que tem em atraso na liga fica em primeiro. Temos de olhar para a qualidade deles e do seu treinador. Não estou a baixar a nossa expetativa de ir lá ganhar, mas não está nada decidido. Este grupo é muito equilibrado, temos o City, mas não é impossível vencê-los. Há muitas coisas que temos de trabalhar e em alguns momentos de jogo sermos mais consistentes para ficarmos mais próximo do que queremos, que são vitórias. 

Sérgio Oliveira: 

O que mudou este ano: O míster ajudou-me bastante na chegada à área. Sinto-me melhor em todos os aspetos. O golo é uma consequência do trabalho.

“Jogas tanto Oliveira”, de onde vem a expressão: Surgiu de uma brincadeira e ficou. Estamos nisto agora.

Marselha diferente?: Creio que o Marselha vai tentar entrar forte no jogo, mas estamos precavidos para isso. Temos vindo a trabalhar para este jogo independentemente da forma que o Marselha entrar. Temos de ser fiéis aos nossos princípios. 

Recuperação: Esta paragem é sempre boa para trabalhar a equipa. Estamos em todas as frentes. A equipa está com as ideias mais cimentadas. Vamos enfrentar o Marselha e temos todas as condições para vencer.

Expetativas para o jogo: Sabemos que o Marselha disse que queria limpar a imagem que tinham vindo a deixar. Vão dar o tudo por tudo, é um jogo de vida ou morte para eles. Vão ter pela frente uma equipa que também vai querer os três pontos.

Finalização a subir: Nada vale se o trabalho não for continuo. Temos uma época longa pela frente e espero continuar na senda de golos e de vitórias.

Vitória deixa apuramento próximo: Vamos entrar com o espírito que nos caracteriza. Máxima intensidade e uma equipa trabalhadora com enorme vontade de ganhar. Queremos dar um passo para estar mais próximo dos oitavos.

Antevisão: Depois de um tímido regresso à competição após a paragem para compromissos de seleções, o FC Porto regressa amanhã à ribalta do futebol. 

Os azuis e brancos enfrentam, em partida da 4.ª jornada da fase de grupos, o Marseille de André Villas-Boas, numa partida em que os franceses quererão ‘vingar’ o resultado da ‘primeira mão’.

Numa partida em que se espera que Sérgio Conceição volte a mexer, os azuis e brancos poderão dar um forte passe rumo aos oitavos em caso de vitória no encontro.

Via
Noticias ao Minuto

Artigos relacionados

Botão Voltar ao Topo