FutebolSporting

Leão meteu a quarta para liderar uma noite: As notas do Sporting-Tondela

Para recordarmos uma I Liga com um líder de verde e branco é preciso recuar mais de um ano, até 25 de agosto de 2019, quando as bancadas dos estádios ainda tinham público e o espetáculo do desporto-rei não era uma ‘cantiga de televisão’.

Nesta altura, o Sporting partilhava a liderança com o Famalicão, algo que, em caso de empate, amanhã, no Bessa, do Benfica, poderá voltar a repetir-se, mas agora com dois eternos rivais a ocupar o primeiro lugar do pódio.

Para voltar ao trono que há décadas sonha voltar a ocupar em maio, o conjunto de Alvalade, agora comandado por Amorim, somou este domingo três importantes pontos, na receção ao Tondela, que saiu vergado por quatro golos sem resposta.

Pote voltou a ser o herói de uma partida onde o leão teve de novo um alpha a liderar a matilha, é que com Sporar na frente de ataque, os verde e brancos parecem, ao contrário do que se podia prever, mais soltos.

Com o esloveno a prender os defesas contrários, os ataques de alas e laterais tornaram-se mais eficazes e até deu para… Sporar marcar. Numa partida em que João Mário voltou a ser titular desde o seu regresso ao Sporting, o jogador cedido pelo Inter ainda deixou alguns bons apontamentos, mas notou-se alguma falta de ritmo competitivo.

Mas vamos às notas do jogo:

Homem do jogo: Pedro Gonçalves. Carregar a camisola 28 é, em Alvalade, promessa de talento, golos, espetáculo e entrega, e o menino ‘Pote’ parece estar a querer tornar-se no próximo tesouro do reino do leão. Com golos, mas sobretudo com uma presença em campo sempre no sítio certo, o sucessor de Ronaldo ou Moutinho, entre outros, parece estar encontrado. Carimbou ontem o passaporte da liderança (provisória) com um bis, no entanto o primeiro tento, pleno de oportunidade, aos 45 minutos, desbloqueou uma partida que podia ter-se tornado complicada.

Surpresa: Trigueira. Se o Tondela teve ontem uma noite para esquecer, só não foi pior porque na baliza teve um monstro. É certo que Trigueira encaixou quatro golos, mas pelo volume ofensivo que os seus companheiros foram permitindo ao Sporting o resultado foi quase lisonjeiro. Esteve bem em quase todos os momentos do jogo, exceto quando, por nervosismo, entregou a bola ao adversário e quase ia sofrendo golo.

Desilusão: Tiago Tomás. Dar ‘nota’ negativa a um menino que ainda está a aprender é sempre roubar-lhe parte do seu estado selvagem. Porém, TT, como é conhecido entre a equipa, ontem, teve alguns furos abaixo do resto do coletivo. Protagonizou lances em que podia e devia ter feito melhor, mas continua, e bem, a merecer aposta do seu treinador. As dores de crescimento são, porventura, o mal menor para um avançado que parece ter tudo para vir a ser diamante que pode brilhar.

Treinadores:

Rúben Amorim: Disse que ia manter-se fiel às suas ideias. Lembrou que não é obstinado e até admitiu, na antevisão, mudar o onze que vinha a repetir. Mexeu e foi feliz. Até aqui jogando sempre sem referência atacante fixa, os dados do jogo de ontem, frente ao Tondela, devem deixar-lhe perceber que, apesar de parecer pensar o contrário, o coletivo que orienta é mais equipa com Sporar na frente de ataque. Apostou em João Mário, deu a titularidade a Tiago Tomás e foi neste segundo que mexeu primeiro para agitar mais ainda as águas de Alvalade. Pensou bem o jogo e não deu hipótese ao seu adversário no plano tático.

Pako Ayestaran: Foi surpreendido pelas mexidas no onze dos leões que há três jogos vinham a repetir a equipa. Mas, mais do que isso, foi salvo por uma gigante exibição de Trigueira. Pareceu atropelado pelo camião tático do treinador adversário e nunca soube responder, quer mexendo no desenho das peças que já tinha em campo quer buscando outras soluções no banco.

Árbitro: António Nobre. Teve um jogo com muita atividade para gerir, mas com poucos casos. No segundo tempo foi obrigado a puxar mais do amarelo, sobretudo num momento em que após lance confuso entre atletas das duas equipas se envolveram em escaramuças. Não foi presença notada em campo e só o vimos a intervir quando foi estritamente necessário. Nota positiva para o jovem juiz de 31 anos da Associação de Futebol de Leiria.

Via
Noticias ao Minuto

Artigos relacionados

Botão Voltar ao Topo