Futebol

INVASÃO DE ADEPTOS A CENTROS DE TREINO NÃO É NOVIDADE. RECORDE OS OUTROS INCIDENTES NO FUTEBOL PORTUGUÊS

O desporto português voltou a ficar manchado depois de uma invasão de um grupo de 50 adeptos leoninos ao centro de treino, onde houve agressões a jogadores e elementos da equipa técnica.

Durante a tarde de terça-feira passada, cerca de meia centena de indivíduos, de cara tapada, alegadamente adeptos ‘leoninos’, invadiram a Academia de Alcochete e, depois de terem percorrido os relvados, chegaram ao balneário da equipa principal, agredindo vários jogadores, entre os quais Bas Dost, Acuña, Rui Patrício, William Carvalho, Battaglia e Misic e outros membros da equipa técnica.

No total, a GNR deteve 23 suspeitos, apreendeu cinco viaturas ligeiras, vários artigos relacionados com os crimes e recolheu depoimentos de 36 pessoas, entre jogadores, equipa técnica, funcionários e vigilantes ao serviço do clube.

“Iremos agir em conformidade, isto é um caso de polícia e não desportivo, é crime puro e duro. Felizmente a polícia atuou rapidamente e a partir daqui é estar a chover no molhado. Compreendo a frustração dos adeptos e repudio tudo isto. Foi chato mas amanhã é um novo dia e temos de perceber que o crime faz parte do dia-a-dia e tem de ser punido no local certo”, disse, horas depois, o presidente do Sporting.

A invasão de adeptos em centros de treinos não é algo novo no futebol português, tendo já existido outros casos semelhantes, felizmente sem a gravidade do que aconteceu em Alcochete.

Vitória de Guimarães

No dia 17 de janeiro deste ano, cerca de 30 adeptos invadiram o treino da equipa principal do Vitória de Guimarães, tendo chegado mesmo a agredir alguns jogadores. Os desacatos entre adeptos e jogadores aconteceram quando o grupo de adeptos acedeu ao relvado pela porta do parque de estacionamento do complexo desportivo do clube, que se encontrava aberta, e invadiram o treino matinal do plantel. A equipa, então orientada por Pedro Martins, não vencia há seis jogos.

Centro de Treino dos Árbitros

Um ano antes, alguns elementos dos Super Dragões, principal claque portista, foram até ao centro de treinos dos árbitros na Maia, tendo falado com alguns dos juízes, em especial Artur Soares Dias. O internacional portuense foi mesmo ameaçado de morte e os elementos prometeram voltar caso o resultado do encontro não agradasse aos portistas. Soares Dias ouviu o que tinham para lhe dizer mas acabou por treinar normalmente, tal como os restantes árbitros presentes no local.

SC Braga

No mês seguinte, em fevereiro de 2017, o treino do SC Braga ficou marcado por uma invasão protagonizada por adeptos do clube minhoto. O treino era para decorrer à porta fechada, mas alguns adeptos comparecerem nas instalações do clube para, de forma pacífica, abordarem o plantel às ordens de Jorge Simão sobre os resultados recentes da equipa. Os minhotos tinham perdido em casa diante do rival Vitória de Guimarães e perderam igualmente na deslocação a Vila do Conde, sendo que pelo meio falharam a conquista da Taça da Liga ao serem derrotados pelo Moreirense na final.

Um ano antes, depois de ter sido eliminado na Taça de Portugal pelo Sporting da Covilhã, da II Liga, alguns adeptos tentaram invadir o ‘hall’ de entrada do Estádio Municipal de Braga, depois da eliminação da equipa da Taça de Portugal de futebol pelo ‘secundário’ Sporting da Covilhã. Os adeptos não chegaram a entrar na zona, onde, no final das partidas, costumam estar familiares e convidados, porque foram impedidos por ‘stewards’, tendo sido depois pedido ajuda das forças policias para fazer dispersar o grupo, que gritava palavras de ordem contra o treinador José Peseiro.

Benfica

Em novembro de 2015, cerca de duas dezenas de adeptos do Benfica invadiram o centro de treinos do Benfica, no Seixal, com o objetivo de pedirem explicações ao treinador Rui Vitória pelos maus resultados obtidos pela equipa. Os adeptos tentaram chegar ao relvado onde decorria um treino das camadas jovens, mas foram impedidos pelos seguranças no local e por agentes da autoridade. Estes acontecimentos decorreram após o Benfica ter sido eliminado da Taça de Portugal, onde perdeu em Alvalade por 2-1.

Académica

No início desse mesmo ano, em janeiro, o treino da Académica de Coimbra ficou marcado por uma invasão de cerca de 15 adeptos que proferiram palavras ofensivas aos jogadores e à equipa técnica , orientada na altura por Paulo Sérgio. O grupo entrou no relvado e dirigiu-se aos jogadores e a Paulo Sérgio com ofensas, tendo sido depois confrontados pelo treinador, que defendeu os seus jogadores.

Origem
Sapo Desporto

Artigos relacionados

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Close