FutebolInternacional

Diogo Amado aborda futuro e não afasta regresso ao futebol português

Diogo Amado esteve durante as últimas duas épocas a jogar no Qatar, ao serviço do Al-Gharafa. O médio português de 30 anos terminou contrato com o emblema catari e encontra-se, agora, a ponderar o futuro, numa altura particularmente complicada no mercado de transferências por conta da pandemia do novo coronavírus. Formado no Sporting e com um longo percurso no Estoril, Diogo Amado não fecha portas a um regresso ao futebol português, mas também admite que terá de tomar a melhor decisão numa fase da carreira tão importante. 

“Neste momento, estou à espera que esta situação do vírus acalme para o mercado abrir e os clubes começarem a investir em jogadores. Tenho de tomar a melhor decisão para o futuro”, começa por contar Diogo Amado, em declarações ao Desporto ao Minuto, antes de ser confrontado com a possibilidade de regressar ao Estoril, algo que os adeptos do clube da Linha têm pedido nas redes sociais. 

“Regressar ao Estoril é uma possibilidade. Houve um falatório do desejo que eu voltasse. O Estoril é uma casa que me é querida e passei lá anos inesquecíveis, mas, neste momento, estou a avaliar aquilo que é melhor tendo em conta a minha idade. Não é algo que possa dizer já que sim, mas não coloco essa possibilidade de lado“, explica o médio defensivo português que admite estar numa idade decisiva para o futuro. 

“Com esta idade, e tendo em conta que a carreira de jogador é muito curta, julgo que terei mais cinco/seis anos para estar ao melhor nível. Tenho de tomar a decisão certa para mim e para a minha família, não só em termos de carreira, mas também para aqueles que estão à minha volta“, afirma Diogo Amado. 

Durante o confinamento motivado pela pandemia da Covid-19, Diogo Amado aproveitou para trabalhar arduamente os indicies físicos. A preparação ajudou-o também a não descurar o lado mental, numa altura em que a falta de competição deixou vários jogadores desmotivados. 

“Aproveitei o confinamento provocado pela pandemia para manter a forma e não descurar a parte física. Quero estar preparado para o próximo desafio. Houve uma fase que foi mais complicada, em que estava a sentir aquela falta do desgaste físico, mas consegui contornar isso com os treinos que fui fazendo. Tenho mesmo de investir nisso para estar preparado, não só fisicamente, mas também mentalmente. Estou aberto a praticamente todas as possibilidades. O facto de ter estado a jogar fora de Portugal fez-me crescer, sobretudo, como homem. Gostei da experiência e não fecho as portas ao estrangeiro, até porque penso que seria algo benéfico para mim e para a minha família”, destaca. 

Atento ao futebol português

Diogo Amado garante estar a acompanhar de perto o retomar do campeonato português, e considera normal que existam alguns resultados inesperados nestas primeiras jornadas pós-confinamento. O médio aponta, ainda, a falta de adeptos como um dos motivos que podem justificar o baixo rendimento das equipas que, geralmente, são mais fortes. 

“Por um lado, considero que seja normal, porque é como iniciar uma nova época com menos tempo de preparação. Hoje em dia, qualquer equipa tem capacidade para se preparar melhor. Em termos físicos, os jogadores estão mais equilibrados do que estariam no decorrer de uma época normal. Por aí, acho normal, mas os clubes grandes deveriam demonstrar mais e criar mais perigo. Talvez a falta de adeptos esteja a causar alguma confusão, mas as equipas ditas pequenas têm aproveitado isso. A diferença entre os ditos grandes e os ditos pequenos já não é tão grande como era aqui há uns anos. Pelo menos, na questão da capacidade física”, refere Diogo Amado, antes de imaginar o que sentiria caso entrasse em campo sem adeptos nas bancadas. 

“Inconscientemente o jogador sente que falta ali qualquer coisa. Há sempre aquele apoio, os gritos, a vibração dos adeptos… Falta ali aquela dose de adrenalina e isso faz parecer o jogo num jogo particular, o que não é porque há muita coisa em jogo. Acho que me faria confusão“, confidencia. 

Convidado a arriscar um campeão para a presente temporada, Diogo Amado acredita que a luta se resume a FC Porto e Benfica, e será… imprevisível. 

“Sinceramente, não consigo apontar um possível campeão. A segunda parte desta época está a ser muito estranha. A luta é entre FC Porto e Benfica, mas, sinceramente, não sei qual dos dois conseguirá manter a regularidade e ser campeão“, conclui Diogo Amado em declarações ao Desporto ao Minuto

Via
Noticias ao Minuto

Artigos relacionados

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Back to top button
Close
Close