Futebol

Abel troca o silêncio por dura declaração: «Isto ainda está longe de bater no fundo»

Treinador do Sp. Braga não se revê no “ruído à volta do futebol falado”

Abel Ferreira apresentou então na conferência de imprensa esta sexta-feira para fazer a antevisão do jogo com o Marítimo, da 32.ª jornada da Liga NOS, agendado para sábado às 15h30, no Funchal, mas antes fez uma dura declaração sobre o “ruído à volta do futebol falado”.

“Há uns meses disse que se não tivéssemos cuidado estaríamos a incitar à violência e ao ódio e é o que vamos assistindo sobretudo nesta última semana. Em que os jogos de futebol passaram a ser jogos de vida ou de morte, onde a rivalidade passou a ser ódio. Fico triste que não se lembrem que por trás de um profissional de futebol, seja ele jogador, treinador, presidente há uma família. Há um homem, e neste momento vale tudo. Vale acusar, vale insinuar, vale insultar, vale injuriar, vale tudo e mais alguma coisa. Vale acusar o caráter, o profissionalismo, vale tudo assim.

Eu, em nome do meu grupo de trabalho, se quiserem acusar que a minha equipa joga mal. Que as substituições são mal feitas, que o plano de jogo está mal, vou aceitar isso. Porque é a minha profissão, aquilo que amo, sei quais são as regras. Agora pôr em causa o profissionalismo, o caráter dos meus jogadores, da minha equipa técnica, do nosso presidente e para agravar dos nossos adeptos não aceito. Entendo que o ruído à volta do futebol falado precisa de silêncio. Mas também se não dissesse nada, alguém iria ocupar esse espaço com mais polémica. Não me revejo nessas declarações, no que vamos assistindo. Entendo, com muita pena minha, que isto ainda está longe de bater no fundo”. Afirmou assim o treinador do Sp. Braga.

Via
Record

Artigos relacionados

Botão Voltar ao Topo