Ciclismo

Volta a Portugal: Sporting-Tavira quer “lutar pela vitória”

Verdes e brancos têm este ano vários nomes de monta na luta pela geral

O Sporting-Tavira vai “lutar pela vitória” na Volta a Portugal, que arranca na quarta-feira em Viseu. Com vários ciclistas em condições de serem candidatos e “quase todo o ano” a preparar a corrida.

“O objetivo é lutar pela vitória na Volta. É o que a equipa leva para a corrida. Em termos de liderança, é evidente que a equipa tem no seu seio ciclistas que podem lutar por essa vitória”. Destaca à Lusa o diretor desportivo dos leões, Vidal Fitas.

Os verdes e brancos têm este ano vários nomes de monta na luta pela geral, do campeão em 2013, Alejandro Marque, ao veterano italiano Rinaldo Nocentini, o novo campeão português de fundo, José Mendes, e o regressado Tiago Machado.

O português de 33 anos está de volta a Portugal após oito anos no escalão WorldTour, e nove anos no estrangeiro. E Fitas explica que este reforço foi “um acrescento que pode discutir a Volta”.

Ainda assim, o diretor desportivo dá o exemplo da W52-FC Porto, a grande favorita à vitória. Na qual “qualquer um pode discutir a Volta”. P.elo que o Sporting terá de proteger os corredores até ao momento em que se comecem a ver diferenças.

Assim, “Com o desenrolar da prova, iremos abdicando de alguns em detrimento de outros, ou de um. Só ganha um. Aí, teremos um ciclista que será o líder da equipa”, explica.

Então, sobre o momento em que a equipa chega à prova, Vidal Fitas lembra 2018, em que o espanhol Mário González chegou “muito bem. Numa grande época”, mas desistiu ao segundo dia de prova com uma insolação, como prova de que “há fatores que não se controlam”.

Artigos relacionados

Botão Voltar ao Topo