Ciclismo

Volta a Portugal de Cadetes

Ciclismo

Daniel Gonçalves foi 6º classificado na 11ª edição da Volta a Portugal de Cadetes, prova que percorreu entre a passada sexta-feira e este domingo as estradas dos concelhos de Abrantes, Alenquer e Torres Vedras.

ciclista da Academia Joaquim Agostinho levou a expectativa da vitória até à derradeira etapa, tendo terminado os 234 quilómetros da competição apenas a nove segundos do vencedor, o espanhol Marc Cabedo.

A primeira etapa, com 84 quilómetros, foi a mais extensa da prova e o imenso calor que se fez sentir na zona de Abrantes a juntar à elevada velocidade imposta pelos atletas mais experientes, deixou marcas profundas no extenso pelotão, com cerca de 50 ciclistas não conseguirem cruzar a meta dentro do tempo limite previsto pela organização. Tiago Oliveira, que sacrificou o resultado pessoal em prol da equipa e do objetivo de levar Daniel Gonçalves á vitória final, foi um dos elementos que chegou nessa condição juntamente com Tomás Gouveia e Gonçalo Santo.

Miguel Bandeiras também foi um apoio importante para o líder da equipa torriense. O ciclista alentejano fez uma prova de grande nível, terminando na 43ª posição a cinco minutos da camisola amarela.

O luso-francês Thomas Vale fez a estreia pela equipa nesta Volta a Portugal e em conjunto com Pedro Santos e os outros dois companheiros, formaram um quarteto que defendeu as cores da Academia Joaquim Agostinho e manteve sempre acesa a esperança da camisola amarela ficar em território torriense, atendendo ao facto da terceira e última etapa ter sido disputada em Torres Vedras.

A correr no seu Concelho o apoio do público era fundamental e Daniel Gonçalves tentou recuperar os nove segundos de atraso para o primeiro classificado na última contagem de montanha instalada no alto da Serra da Vila, mas a iniciativa acabaria por não resultar em sucesso, terminando a etapa com o mesmo tempo do vencedor.

Resignado com o resultado final, Daniel Gonçalves considerou que “foi uma volta muito dura, mas uma experiência bastante enriquecedora que contribuiu positivamente para o meu crescimento como ciclista, que é neste momento o meu principal objetivo. Efetivamente, vim para procurar a vitória e quando levamos este nome ao peito (Joaquim Agostinho) não podemos pensar de outra forma. Dei tudo, tentei fazer o meu melhor na tentativa de recuperar os nove segundos de desvantagem mas desta vez não foi possível. Coletivamente o balanço é muito positivo, andamos na luta e honrámos os nossos patrocinadores, que são sem dúvida o apoio fundamental ao nosso desempenho e evolução enquanto atletas em formação.”

Fonte: Academia Joaquim AgostinhoCiclismoVoltaPCadetesCiclismoTomasGouveiaCiclismoThomasVale

Fonte: Mais Algarve

Origem
Mais Algarve

Artigos relacionados

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Close