Ciclismo

Démare conquistou ao sprint a etapa mais calma dos Pirenéus

Foi a segunda vitória numa etapa da Volta a França para o francês.

Arnaud Démare (Groupama–FDJ) venceu esta quinta-feira a 18.ª etapa da Volta a França, a mais calma dos Pirenéus. O francês completou o percurso entre Trie-sur-Baïse e Pau em 3h46m50s, tendo logo atrás de si Christophe Laporte (Cofidis) e Alexander Kristoff (UAE Team Emirates). Foi também uma etapa de grande demonstração de vontade por parte de Peter Sagan (Bora-Hansgrohe), que terminou em oitavo, apesar das grandes dificuldades físicas. Nos dez primeiros da classificação geral não se registaram mudanças.

Matthew Hayman e Luke Durbridge (Mitchelton-Scott), Thomas Boudat (Direct Énergie), Niki Terpstra (Quick-Step Floors) e Guillaume Van Keirsbulck (Wanty-Groupe Gobert) formaram um grupo de cinco que percorreu grande parte do percurso sozinho na frente. A vantagem em relação ao pelotão chegou a ser de 1m50s, mas desceu 30 segundos quando faltavam 63 quilómetros para a meta. A partir daqui, a distância estabilizou, não havendo nenhum ataque.

A 20 quilómetros do fim, o pelotão, que ao contrário das etapas anteriores, não foi tão dominado pelos homens da Sky, reduziu a distância para os 25 segundos. Como que vendo uma luz ao fundo do túnel, um grupo de perseguidores acelerou para alcançar os cinco da frente. Pouco tempo depois, a 16,5 quilómetros da meta e depois da passagem do Côte d’Anos, todos os corredores da etapa passaram a formar um grupo único.

Nos metros finais, Démare, que liderava uma FDJ, uma das equipas na frente do pelotão, “sprintou” para a meta, batendo Laporte e Kristoff.

É de se realçar o esforço de Peter Sagan, que sofreu uma queda violenta na quarta-feira, mas participou na 18ª etapa. “As minhas costas estão cheias de negras. Vai ser difícil. O meu único objectivo é terminar a corrida”, disse o eslovaco à France Televisions, na linha de partida. “Considerando quão má foi a queda, o meu estado podia estar pior”. Sagan apareceu nos metros finais a acelerar em direcção à meta.

Apesar de ter conquistado a 17.ª etapa na quarta-feira, o azar parece continuar a perseguir Nairo Quintana (Movistar). Um dia após ter tido um problema mecânico que o fez trocar de rodas duas vezes, o colombiano viu-se esta quinta-feira envolvido numa queda que afectou vários ciclistas no pelotão, mas voltou a montar a sua bicicleta. Minutos depois, Quintana pediu assistência médica para voltar a correr.

A dois dias de chegada aos Champs-Élysées, os ciclistas vão participar na 19ª etapa, a “Etapa Rainha”, que se realiza esta sexta-feira num percurso de 200,5 quilómetros compreendido entre Lourdes e Laruns. É uma etapa que terá especial atenção dos especialistas em montanha, pois é a última do género nesta Volta. Tem seis contagens de montanha: duas de categoria especial, duas de quarta categoria, uma de segunda categoria e uma de primeira categoria. Depois de passarem o cume de Col d’Aubisque, última montanha de contagem especial, os ciclistas vão percorrer os últimos 20 quilómetros da etapa numa descida para chegarem à meta.

Fonte: Publico.

Origem
Publico

Artigos relacionados

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Close